A última Páscoa

1. a) “Ide à cidade, à casa de um tal, e diz-lhe: o Mestre diz: O meu tempo está próximo; em tua casa quero celebrar a Páscoa com os meus discípulos”. Quanto era pobre o Filho de Deus! Nem tinha uma casa própria, onde pudesse festejar a Páscoa. És digno discípulo do Mestre pobre?

b) Bastou que Jesus transmitisse ao dono da casa o seu desejo, para logo ser atendido. Segues com igual boa vontade as inspirações divinas e a lei de Deus? Não faltas, às vezes, a tuas obrigações por motivos fúteis? O que dirás a isso, na hora da morte?

2) “Tenho desejado ansiosamente comer convosco esta Páscoa, antes que eu padeça”. Porque esse vivo desejo de Jesus? Porque nesta ocasião quis dar a maior prova de amor, instituindo o Santíssimo Sacramento do altar. Nem a traição de Judas, nem tamanhas e tão numerosas ingratidões previstas podiam desviá-lo deste mimo de amor. Visitas a Jesus Sacramentado o mais possível? Pensas nEle? Respeitas devidamente Sua presença? Recebes com as devidas disposições o Santíssimo Sacramento? Quantas vezes? Qual é a tua preparação?

Agradeces também? E se a próxima Comunhão fosse tua última?…

Breves Meditações Para Todos os Dias do Ano, Frei Pedro Sinzig, OFM, Quarta Edição, 1921.

Este texto foi útil para você? Compartilhe!

Deixe um comentário