D. Athanasius Schneider: “A devoção a Nossa Senhora de Fátima em tempo da tribulação”

A Humanidade e sobretudo os fiéis católicos estão passando actualmente um tempo de tribulações. Para os cristãos se criou uma atmosfera das catacumbas e de perseguição da fé. No entanto, os factos demonstram que, sob o pretexto da epidemia de Covid-19, os direitos inalienáveis dos cidadãos foram violados, limitando desproporcional e injustificadamente as suas liberdades fundamentais, em primeiro lugar o exercício da liberdade de culto. 

Nos próximos dias 12 e 13 de Maio o recinto da Cova da Iria, no Santuário de Fátima, estará, desde a primeira aparição de Nossa Senhora, pela primeira vez quase vazio. Tal facto revela já um caráter extraordinário e pode ser visto num certo sentido como prenúncio dos tempos de perseguição e do martírio, dos quais Nossa Senhora falou na terceira parte do segredo de Fátima. Lá se diz, que “vários Bispos, Sacerdotes, religiosos e religiosas subiram uma escabrosa montanha, no cimo da qual estava uma grande Cruz. Foram morrendo uns atrás dos outros os Bispos, Sacerdotes, religiosos e religiosas e várias pessoas seculares, cavalheiros e senhoras de varias classes e posições”.

Os verdadeiros católicos experimentam nestes dias não tanto um martírio físico, mas psicológico e espiritual, por causa da privação do direito e da possibilidade de celebrar publicamente actos de culto e de devoção. Muito doloroso é sobretudo para os católicos portugueses o facto de serem proibidos de fazer a peregrinação ao Santuário de Fátima a 12 e 13 de maio.

No entanto, todos os devotos de Nossa Senhora de Fátima podem e deveriam organizar-se para fazer uma peregrinação espiritual ao Santuário de Fátima. Uma tal peregrinação espiritual pode ser feita segundo as condições e possibilidades de cada um. A peregrinação podia ser feita individualmente, ou em reunião de família, ou num grupo de fiéis reunidos juntos numa casa, como o foi no tempo das catacumbas ou da perseguição comunista, p.e. na União Soviética ou na China ainda hoje ou em outros países. 

Podia fazer-se uma hora santa de oração em honra de Nossa Senhora de Fátima diante de uma imagem sua, rezando o terço, neste ano especialmente pela intenção que acabe a ditadura mundial sanitária, pela plena liberdade do culto, pela preservação dos males apocalípticos da escravidão da vacinação forçada e da “chipização” obrigatória. Uma intenção especial também seria a consagração perfeita da Rússia assim como a pediu Nossa Senhora, pois somente duma tal consagração perfeita virá a conversão verdadeira da Rússia e à Humanidade será dado um tempo de paz. Uma outra intenção importante seria o desagravo pelos horrendos sacrilégios contra a Santíssima Eucaristia, perpetrados nas últimas décadas dentro da Igreja, por meio de Comunhões indignas e da banalização do rito da Comunhão. A intenção mais importante, no entanto, seria pela vinda do triunfo do Coração Imaculado de Nossa Senhora.

Quanto mais o pecado e as tribulações aumentarem, tanto mais abundantemente Deus, através das mãos de Maria, concederá graças especiais e auxílios eficazes. Que todos os devotos de Nossa Senhora de Fátima se unam espiritualmente no dia 13 de Maio (ou na véspera) e com lágrimas e com confiança filial apresentem a Deus, através da intercessão do Coração Imaculado de Maria, as súplicas, e especialmente a oração do santo Rosário com as intenções mencionadas. “Deus, não fará justiça aos seus escolhidos, que dia e noite gritam por Ele?” (Lc 18, 7).

Nossa Senhora prometeu que em Portugal se conservaria sempre a fé, i.e. a verdadeira fé Católica. A conservação da fé não é uma questão de números e de percentagens. Também nestes dias de tribulação e desolação, do abandono da integridade e pureza da fé e da liturgia, Nossa Senhora tem em Portugal e em outros países os Seus fiéis, os Seus pequeninos. Estes fiéis, estes pequeninos de Nossa Senhora são aqueles membros do clero e do povo Católico, de todas as idades e posições sociais, que têm conservado na alma a fé pura dos santos Pastorinhos de Fátima, o ardente e reverente amor à Santíssima Eucaristia, a filial entrega e devoção à Nossa Senhora e ao Seu Imaculado Coração.

Pela misteriosa permissão Divina, os devotos e peregrinos de Nossa Senhora de Fátima não podem reunir-se em 13 de maio deste ano na Cova da Iria do Santuário de Fátima. No entanto, eles podem reunir-se neste dia espiritualmente, onde quer que eles estejam, e formar um exército dos “pequenos” devotos de Nossa Senhora de Fátima.

Queira Deus que em Portugal e em outros países haja tais pequenos “exércitos” de Nossa Senhora de Fátima e que no dia abençoado da primeira aparição de Nossa Senhora em Fátima estes “exércitos” se tornem mais numerosos e que se forme um grande exército pelo mundo inteiro. Com este exército dos Seus pequenos Nossa Senhora vai vencer os ataques presentes contra a fé e a liberdade do culto.

Que todos os católicos que sofrem por causa da repressão religiosa actual e da desolação espiritual renovem a sua confiança sobrenatural no triunfo do Coração Imaculado de Maria. Que eles peçam a Nossa Senhora de Fátima que mande os Anjos com os regadores de cristal, nos quais recolhiam o sangue dos Mártires, para eles regarem as almas de todos os que se aproximam de Deus, que estão sedentos de Deus e da Santíssima Eucaristia.

Os poderes humanos deste mundo, tanto civis como eclesiásticos, impedem os devotos de Nossa Senhora de Fátima de se reunirem na Cova da Iria neste 13 de Maio. Porém, eles não têm o poder de lhes proibir de se reunir espiritualmente numa hora santa ao nível local, nacional ou mundial em honra de Nossa Senhora de Fátima. Nossa Senhora recompensará com graças especiais tais actos de amor, veneração e confiança filial para com Ela.

Rezemos neste tempo com os santos Francisco e Jacinta frequentemente esta oração ensinada pelo Anjo: “Ó Jesus, é por vosso amor, pela conversão dos pecadores, e em reparação dos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria.”

Que estas palavras, que Nossa Senhora disse aos Pastorinhos, consolem e dêem alento e alegria espiritual a todos os devotos de Nossa Senhora de Fátima, especialmente aos que sofrem e aos que estão abatidos nestes dias da tribulação: “O meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá até Deus.”

+ Dom Athanasius Schneider, Bispo auxiliar da arquidiocese de Maria Santíssima em Astana

Texto escrito para o blog Semper Idem

Fonte: senzapagare

Este texto foi útil para você? Compartilhe!

Deixe um comentário