O pobre Jesus

1. a) “Então lhe cuspiram na face“. A quem? A seu Criador e Salvador. Incrível atrevimento das criaturas! Incompreensível humildade de Jesus! Fizeste-lhe o mesmo, ao manchares tua alma com o pecado, pois tua alma é sua imagem. Arrepende-te. Faze mais: sofrendo injúrias, imita a mansidão de teu Salvador.

b) “Deram-lhe bofetadas no rosto, dizendo: ‘Adivinha, Cristo. Quem é que te bateu?’“. Os insanos julgaram não serem conhecidos por Deus. Ele os conheceu, como te conhece a ti, tuas obras boas e más. E tu, pecando, sabias tudo isto!

2. a) Não há ninguém que defenda ao inocente Jesus nesta última noite de sua vida. Quando se conhecerá tudo quanto Ele sofreu? Sem uma queixa sequer, sofre desamparado como ninguém ainda sofreu. Por quem? Por ti, por tua alma. Quanto amor! Com que o pagas?

b) Em obediência ao Pai, Jesus sujeita-se ao mais terrível tratamento. Como procedes nos sofrimentos que Deus diretamente ou por outros te manda? És digno irmão de Jesus? Nem o serás?

Breves Meditações Para Todos os Dias do Ano, Frei Pedro Sinzig, OFM, Quarta Edição, 1921.

Este texto foi útil para você? Compartilhe!

Deixe um comentário