O tempo da juventude

“Lembra-te do teu Criador, no tempo da juventude.”(Ecles. XII,1).

Alegra-te, ó jovem, durante os dias esplêndidos da juventude! São a primavera da vida.

Mas, para que a alegria seja verdadeira e duradoura, não te esqueças do Criador.

A quem pertence o direito principal sobre a tua mocidade, senão a Deus, que a quis adornar com tão magníficos dons?

Será justo que lhe arrebatemos do altar, para as entregarmos aos seus inimigos, as primícias da juventude, cuja beleza tanto compraz ao Senhor? Semelhante proceder seria indício da mais negra ingratidão.

Não repitas com os ímpios: Vinde, gozemos dos bens desta vida¹ , e aproveitemo-nos da juventude que passa e corre veloz: não deixemos perder o melhor tempo da vida.

Ouve antes a voz de Deus: Amo aos que me têm amor;e quem cedo me procura, encontra-me² .

Magnífica promessa! Deus assegura-te o seu amor e um auxílio particular, se o procurares na flor da idade. Poderá haver melhor e mais esplêndida promessa?

Contas acaso com largos anos de vida? E quem te assegura? E se morreres no frescor dos anos? Que dor sentirás então, por teres dissipado a juventude! O prejuízo será eternamente irreparável.

Mas, ainda quando atingisses uma idade provecta, esse prejuízo seria enorme.

O que semeares na juventude, colhê-lo hás na velhice. As primeiras impressões são as que mais fundo se gravam, e por isso mesmo as que mais perduram; e os costumes contraídos na mocidade são os que mais dificilmente se vencem. A árvore que nasce torta, só à custa de muito trabalho e violência se endireita.

E como poderás desempenhar os deveres da tua futura vocação, se não te acostumares agora a cumprir as tuas obrigações atuais, e a vencer-te a ti mesma?

Sê prudente. É natural que aspires a gozar no tempo da juventude; mas, vai procurar o gozo na sua fonte; em Deus que é o pai da luz, do qual procedem todas as dádivas e todos os dons perfeitos³.

Os que de vós se apartarem, serão escritos sobre a terra, porque deixaram a fonte da água viva⁴ .

Adere a Deus e enrega-lhe o teu coração, e a tua juventude ver-se-á iluminada pelo brilho do sol, e o caminho da tua vida tornar-se-á cada vez mais claro e resplandescente. À primavera seguir-se-á um verão fecundo e um outono rico de frutos opimos.

Voltarão carregando, no meio de grande alegria, os feixes de abundante colheita⁵.

  1. Sab. II, 6.
  2. Prov. VIII, 17.
  3. Sant. I, 17.
  4. Jer. XVII, 13.
  5. Salm. CXXV,4.

A Virgem Prudente, Pensamentos e Conselhos acomodados às Jovens Crsitãs, por A. De Doss, S.J. versão de A. Cardoso, 1933.

Este texto foi útil para você? Compartilhe!

Deixe um comentário