• Reflexão e Conversão

    Consequências do pecado

    1. A leviandade ousa dizer: “Já muitas vezes pequei, e que mal me aconteceu?” Calar-se-ia se olhasse para certos fatos. Espíritos puros, poderosos, sábios e belos tinham sido criados por Deus. Alguns rebelaram-se e logo despovoou-se o céu. Lúcifer e os que o tinham seguido, caíram do céu como um relâmpago. Santo Deus! Quanta transformação! um pecado fez de anjos, demônios; de espíritos belos, monstros de hediondez; de felizes, desesperados; de amigos do Altíssimo, condenados! Assim puniu Deus, que, entretanto, é todo amor! O que deve ser o pecado! 2. Adão e Eva eram a obra prima do artífice divino. Sua razão era esclarecida pela eterna luz, sua vontade voltada…

  • Reflexão e Conversão

    Infeliz de quem peca contando com o perdão

    Effugium peribit ab eis, et spes illorum abominatio animae – “Não lhes ficará refúgio e a esperança deles será abominação de sua alma” (Iob. 11, 20). Sumário. Deus suporta, mas não suporta sempre. Quando se encheu a medida dos pecados que Deus quer perdoar, lança mão dos castigos mais formidáveis. Se Deus suportasse sempre, ninguém se condenaria, mas é opinião comum, que a maior parte dos adultos, incluindo os cristãos, se condenam. Infelizes de nós portanto, se pecarmos na esperança do perdão e abusarmos da misericórdia de Deus, para o ultrajar mais! Seremos irreparavelmente condenados para sempre, como se condenaram tantos outros nossos iguais. Escreve São Bernardo que a esperança do perdão,…