A pesca milagrosa dos Apóstolos

1. a) “Faze-te ao largo, e deitai as vossas redes para a pesca“. Jesus entrou na barca de São Pedro. Só ele é o chefe da Igreja; só a ele mandou ir ao largo, embora mandasse a todos deitarem as redes.

b) “Mestre, trabalhando toda a noite, nenhuma coisa apanhamos: porém, sobre a tua palavra, deitarei a rede“. Sem Jesus, todo trabalho é sem fruto. Trabalhando só por tua glória ou pelo mundo, no fim nada terás; entretanto, é tão fácil valorizar tuas ações pela boa intenção!

2. a) “Apanharam tão grande multidão de peixes, que a rede se lhes rompia“. Eis a recompensa da confiança e obediência dos Apóstolos. Muitos peixes, porém, recaíram ao mar, em rompendo-se a rede. Muitos dos que entraram na Igreja, nela não se salvarão. Esforça-te, para não seres do número desses infelizes. Não sigas a grande massa dos mundanos, mas os escolhidos, no caminho estreito.

b) São Pedro, vendo o grande milagre, confessou-se indigno de o Senhor se aproximar dele. Tu conheces todos os milagres de Jesus. Onde a tua humildade pelo pouco proveito que deles tiraste e onde o teu reconhecimento por tantos favores? Onde a tua modéstia na oração, na Igreja, na Santa Comunhão?

Breves Meditações Para Todos os Dias do Ano, Frei Pedro Sinzig, OFM, Quarta Edição, 1921.

Este texto foi útil para você? Compartilhe!

Deixe um comentário