• Reflexão e Conversão

    Adiamento da conversão

    Dilação da conversão “Não demores a tua conversão ao Senhor, nem a difiras de dia para dia.” (Ecl. V, 8.) O que é que impede a tua conversão? Acaso a frivolidade, ou o receio das dificuldades? Como poderei evitar este ou aquele pecado, abandonar este ou aquele mau hábito? Difícil será; impossível não, enquanto puderes contar com o tempo e a graça de Deus. Queres deixar a cura para quando a chaga estiver mais agravada? Cada pecado que cometes, é uma nova ferida a cair sobre as anteriores, a irritá-las cada vez mais; é dar ousadia à paixão e violência ao apetite; é diminuir um grau de luz à razão,…

  • Reflexão e Conversão

    Quanto é doce a morte do justo

    Iustorum animae in manu Dei sunt, et non tanget illos tormentum mortis ― “As almas dos justos estão na mão de Deus, e não os tocará o tormento da morte” (Sap. 3, 1) Sumário. É assim: os tormentos, que na morte afligem os pecadores, não afligem os santos, porque já antes desse tempo deixaram pelo afeto os bens terrestres, consideraram as honras como fumo e vaidade e viveram desapegados dos parentes, amando-os só em Deus. D’outra parte, que felicidade morrer entregando-se nos braços de Jesus Cristo, que quis sofrer uma morte tão amarga, a fim de nos obter uma morte doce e cheia de consolação! Irmão meu, se na primeira noite…

  • Reflexão e Conversão

    Jesus vai sofrer

    1. “Eis, vamos para Jerusalém”. Pela última vez Jesus, acompanhado pelos apóstolos, vai a Jerusalém. Ele conhece o que lá o espera, pois o prediz aos discípulos. Não obstante isso vai pressuroso como se para Ele não houvesse coisa mais preciosa do que o sofrimento pela nossa redenção. Abraças também, de boa vontade, a cruz que Deus diretamente ou por outros te manda? Há uma única contrariedade que sofres, sem te queixares a ninguém? Mais perfeito é ires ao encontro da cruz, vencendo-te por amor de Deus. Ou não fazes nunca algum sacrifício voluntário por teu Salvador? 2. “E tudo o que está escrito pelos profetas, sobre o Filho do homem, será…

  • Reflexão e Conversão

    Bem-aventurado o que não quer outra coisa senão a Deus

    Beati pauperes spiritu, quoniam ipsorum est regnum coelorum ― “Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus” (Matth. 5, 3). Sumário. Persuadamo-nos bem de que só Deus pode contentar-nos; mas não contenta senão àqueles que são pobres de espírito, isso é, de desejos terrestres, e nada querem fora dele. Se, portanto, nós também queremos achar a verdadeira felicidade, desfaçamo-nos de todo o afeto à terra, entreguemo-nos a Deus sem reserva e digamos freqüentes vezes: Senhor, disponde de mim, e de tudo que é meu, segundo o vosso agrado; eu não quero senão o que Vós quereis. Pelos pobres de espírito entendem-se aqueles que são pobres de desejos terrestres…