• Reflexão e Conversão

    A universalidade própria da Igreja de Jesus Cristo não a possui o protestantismo, mas única e exclusivamente a Igreja católica.

    O terceiro distintivo da Igreja de Nosso Senhor é a universalidade. Como deixamos precedentemente asseverado, devia estender-se a todos os povos, abranger o mundo todo, conforme a ordem expressa do seu divino Fundador: Ide, ensinai a todas as nações. Pregai o Evangelho a toda a criatura. Nem se infira deste mandado tenha a Igreja de atrair a si, sem mais delongas, os povos todos disseminados pelo orbe. A conversão do mundo ao Cristianismo, posto seja obra da graça divina, depende todavia da cooperação da livre vontade humana. Para ser universal, é necessário e suficiente que a Igreja – pequenino grão de mostarda, consoante o símile que emprega Jesus no Evangelho,…

  • Reflexão e Conversão

    A alegria da boa consciência

    A tranquilidade da alma é como um banquete eterno. (Prov. XV, 15) Que felicidade a minha, Senhor, saber que recuperei novamente a vossa graça e amizade! Agora reconheço que estais perto de mim. Já não vos apresentais como juiz severo, acusando-me dos crimes de traição, rebeldia e ingratidão; diz-me o coração que já me perdoastes; por isso posso agora esperar, confiada, as consolações, que quiserdes derramar sobre mim. O meu coração, há pouco ainda tão pobre, sente-se agora tão rico! Há pouco tão dividido e transviado, agora tão sereno, satisfeito e feliz! Há pouco tão só e desamparado, e agora tão feliz na vossa companhia, que ela lhe basta e…

  • Reflexão e Conversão

    Amor sem limite

    1. Conheces o bom pastor, que deixa 99 ovelhas para procurar a que se perdeu? “Eu sou o bom pastor”, diz Jesus. O bom pastor dá a sua própria vida pelas suas ovelhas. “O Filho do homem veio buscar e salvar o que tinha perecido”. Lê em seus olhos seu terno amor, vê-o apressar seus passos, ouvi-o erguer sua branda voz que pronuncia teu nome. Preferirás andar perdido? Longe do Pai? Ainda não estás cansado? Não desejas repousar onde há verdadeiro repouso e paz e felicidade? 2. Como se não fosse suficiente a parábola do bom pastor, Jesus, para te convencer de sua bondade, ainda conta outra. É tocante a…

  • Reflexão e Conversão

    A pena dos sentidos no inferno

    Quantum glorificavit se et in deliciis fuit, tantum date illi tormentum et luctum – “Quanto se glorificou e esteve em delícias, tanto lhe dai de tormento e pranto” (Apoc. 18, 7). Sumário. É com razão que o inferno é chamado um lugar de tormentos, porque ali todos os sentidos e todas as faculdades do condenado terão o seu tormento próprio; e quanto mais tiver ofendido a Deus com algum dos sentidos, tanto mais terá de sofrer nesse sentido. Meu irmão, vê se a vida que levas te inspira confiança de não caberes naquele abismo. Quantos cristãos meditaram no inferno como tu, mas, porque não quiseram romper com o pecado e abusaram…