Reflexão e Conversão

Continuas a estar com Deus?

1. a) “Filho, porque assim fizeste conosco?” disse Maria, que não podia abafar seu amor maternal. Chama-o carinhosamente de Filho, nada dizendo, porém, de sua divindade. Não quis manifestar o que pudesse contribuir para sua própria honra.

b) “Sabe que teu pai e eu te andávamos buscando cheios de aflição.” Maria fala em primeiro lugar, mas referindo-se antes a seu Esposo. Mais uma vez testemunha assim seu respeito e seu humilde amor ao chefe da família.

Que sublimes exemplos!

2. Maria e José procuraram o Filho com tamanha aflição que lho contaram amorosamente. Enquanto perdido o Filho, fizeram, porém, mais do que romper em pranto e lágrimas: procuraram-no com toda a diligência e com sacrifícios não pequenos. Nenhuma perda é tão grande como a de Jesus. Nenhuma, por isso, deves evitar mais energeticamente do que esta. E se não obstante perdeste a Deus, procura-o por uma contrição sincera e o firme propósito de jamais abandona-lo no futuro. Como procedeste até hoje? Tiveste em conta menor a posse e a perda de teu Deus, do que a de bens terrenos, de honras, de uma afeição humana?

Breves Meditações Para Todos os Dias do Ano, Frei Pedro Sinzig, OFM, Quarta Edição, 1921.

Deixe uma resposta