Modo de meditar pelo Crucifixo segundo Santa Teresa

“Primeiramente faça exame de consciência, a começar da última confissão, e, depois, um ato de contrição, para se purificar das faltas cometidas; ofereça-se a Deus em perpétuo sacrifício de holocausto ; ponha diante dos olhos do entendimento, ou do corpo, a Jesus Cristo crucificado, e nEle considere e reconsidere com repouso e afeto da alma.

Em primeiro lugar, considere a natureza divina do Verbo Eterno do Pai, unida à natureza humana, que por se não teria existência, se Deus não lh’a desse;

Considere o inefável amor e profunda humildade com que Deus se rebaixou tanto, fazendo ao Homem Deus, fazendo-se Deus Homem; e aquela magnificência e largueza com que Deus usou do seu poder, manifestando-se aos homens, fazendo-lhes participantes da sua glória, do seu poder e grandeza. E se isto causar admiração, como é o costume, demore aqui um pouco; deve, depois, considerar uma altura tão baixa e uma baixeza tão alta. Olhe para a cabeça coroada de espinhos, e considere a rudeza e cegueira do nosso entendimento.

Pedir a Nosso Senhor que nos abra os olhos da alma e nos ilumine o entendimento com a luz da fé, para que com humildade entendamos quem é Deus, e quem somos nós; e, com este humilde conhecimento, possamos guardar os seus mandamentos e conselhos, fazendo em tudo a sua Divina vontade.

Olhe para as mãos cravadas, considerando a largueza delas, seus beneficias, e a estreiteza das nossas.

Olhe para os pés cravados, considerando a diligência com que vêm ao nosso encontro, e a lentidão com que o procuramos. Olhe para o lado aberto, mostrando o seu coração e entranhável amor com que nos amou, querendo que ali seja o nosso ninho e refúgio, e por aquela porta entremos para a Arca, no tempo do dilúvio das nossas tentações e tribulações.

Como Ele quis que seu lado fosse aberto, peça-lhe, em testemunho do amor que nos tinha, dê ordem para que se abra o nosso, e descubramos o nosso coração, e lhe manifestemos as nossas necessidades, e aproveitemos para lhe pedir remédio e medicina para elas.”

(Santa Teresa, Carta Se., n° 6-7-8).

A Paixão de Jesus Cristo pela Associação da Adoração Contínua a Jesus Sacramentado. 3ª edição. Rio de Janeiro – RJ: Vozes, 1925.

Este texto foi útil para você? Compartilhe!

Deixe um comentário