Que lugar se deve dar a Jesus Cristo na instrução religiosa?

O primeiro.

O Grande Apóstolo gloriava-se de não saber, de não pregar senão Jesus, e Jesus Crucificado.

Jesus Cristo é o alicerce do edifício, é a pedra angular; não ha nenhum outro nome debaixo do sol pelo qual possamos ser salvos. Jesus Cristo é o Deus homem, Deus visível; Deus posto ao nosso lado e aproximado de nós. Não se conhece Deis, se não se conhecer Jesus Cristo, seu Filho; ninguém chega ao Pai senão por Mim, disse Ele…Jesus Cristo é a manifestação viva, autêntica de todas as perfeições de Deus.

Todos aqueles, diz Pascal, que procuram um Deus sem Jesus Cristo, não encontram nenhuma luz que os satisfaça ou que lhes seja verdadeiramente últil; porque, ou não chegam a conhecer Deus, ou se chegam, é inútil para eles, porque nunca podem comunicar com Ele sem medianeiro…Jesus Cristo era ontem, será amanhã e em todos os séculos dos séculos. Prometido, figurado, profetizado, esperado, eis toda a história do antigo mundo. Pregado, crido, amado, servido, recebido, continuado, eis toda a história do mundo moderno. Visto, contemplado, possuído na sua natureza divina e na sua natureza humana, eis toda a felicidade da vida eterna…

Jesus Cristo é o grande objeto da piedade cristã. A igreja é o seu corpo e Ele é a sua alma, só vive por Ele (Pichenot, ob. Cit., pág. 140-141).

É, pois, a este ensinamento que os pais devem sempre conduzir os seus filhos, se os querem interessar e instruir duma maneira segura e verdadeiramente cristã.

(in Catecismo da Educação – Abade René Bethléem)

Este texto foi útil para você? Compartilhe!

Deixe um comentário