O Espiritismo: Esclarecimentos oportunos aos católicos e não católicos – Parte 3

D. J. E. Corrêa
Bispo de Caratinga

O ESPIRITISMO

Esclarecimentos oportunos aos católicos e não católicos. Premunir contra os erros é obra de misericórdia e aqui, no caso, eminentemente patriótica.

Quem quiser estudar melhor o problema Espiritismo poderá ler ótimos livros, como: «As Fraudes Espíritas e os Fenômenos Metapsíquicos» do P. Herédia. S. J.; «Material para Instrução sobre o Espiritismo» do Frei Boaventura, O. F. M. (diversos livrinhos fáceis e interessantes); «O que é Espiritismo» do Pe. Negromonte; «Metapsíquica e Espiritismo» do V. Palmés, S. J um livro que satisfaz plenamente a qualquer inteligência. Também se recomenda a leitura de «Segredos do Espiritismo» e «Orientação sobre o Espiritismo».

AVISO IMPORTANTE

Estamos tratando do Espiritismo, para esclarecer e acautelar os católicos sobre os erros tão grosseiros e tão perigosos, e ao mesmo tempo para ajudar sinceramente aos que estão errados de boa fé.

Ensinar a verdade é para nós um direito e um dever. E a verdade não pode prejudicar a ninguém. E com a verdade não estaremos fazendo injúria a ninguém. Se alguém ainda ficar com dúvidas, poderá consultar outros livros, ou dirigir-se a um sacerdote ou ao próprio Bispo Diocesano.

Já que todas as tolices encontram apóstolos audazes, por que não trabalharmos pela verdade que liberta e salva?

***

15. EXISTE O INFERNO?

Allan Kardec escreveu muito contra o inferno. O Espiritismo nega insistentemente a existência do inferno. E, por influência do Espiritismo, a negação do inferno já está se generalizando demais… Para os espíritas, os mortos se encarnam de novo para se purificarem dos seus pecados. E espalham a crença de que Deus é muito bom, não pode condenar seus filhos ao fogo do inferno…

Nada tão claro na Bíblia. Jesus fala no rico epulão que «foi sepultado no inferno» e ali sofria «atormentado neste fogo…» Nesta parábola (Luc. XVI, 19-ss.), Jesus diz que há um abismo entre o céu e o inferno: de um desses lugares não se pode passar para o outro.

Jesus fala em pecado que «não será perdoado eternamente, mas será réu de castigo eterno» (Mat. 3, 29). Ensina Jesus que a pessoa que der escândalo «irá para o inferno, para o fogo inextinguível, onde o verme não morre, nem o fogo se apaga» — (Mc. 9, 43 e ss.).

Jesus repetidas vezes fala em «fogo eterno» (Mt. XVIII). Diz que no dia do juízo Deus dirá aos maus: «apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno» (Mt. XXV, 41).

Aí mesmo diz que os maus «irão para o suplício eterno». Não basta?

Deus é infinitamente bom… Por isto Jesus faz tudo para nos salvar. Aí está a Igreja, os Sacramentos, tudo. Agora irá para o céu quem quiser. E para o inferno quem quiser.

Somos livres, pois Deus nos deu a liberdade. Sabemos o caminho do céu: os mandamentos, ou cumprimento dos deveres religiosos. Temos o auxílio de Deus, a graça que nos vem pelos Sacramentos, que nos santifica e nos salva. Se alguém quiser deixar tudo, abandonar Deus, seguir o caminho do inferno, que é amplo e convidativo, ninguém poderá impedir…

Deus é infinitamente bom, mas é também infinitamente justo. O pecado é uma desobediência a Deus, e de certo modo infinita, pois a grandeza de uma falta se mede pela grandeza do ofendido… Em todo caso, Deus está sempre pronto a perdoar e salvar… Se a pessoa não quiser mesmo, e morrer de mal com Deus, terá o inferno, para sempre. Depois desta vida acabará a liberdade e não haverá mais mudança.

Se o inferno não existisse ou não fosse eterno, Deus seria injusto levando bons e maus para o céu… E os maus até poderiam zombar de Deus, dizendo: «não me importo contigo, Deus; viverei como quiser, praticarei o mal, e um dia terás de me colocar ao lado dos santos no céu!» E os maus levariam vantagem sobre os bons! Neste caso, para que sacrifícios, cumprimento do dever, para que virtude?

Tem de haver céu e inferno! É um postulado elementar da justiça natural! É preciso premiar os bons e castigar os maus!

16. NINGUÉM PODE ASSISTIR SESSÕES ESPÍRITAS

Está visto que ninguém poderá tomar parte em atos espíritas: seria participação no Espiritismo, seria apoio, seria colaboração, seria escândalo para os bons, seria traição à fé…

Por isto é proibido assistir sessões espíritas. «Toda e qualquer participação (no Espiritismo), sob qualquer pretexto, é gravemente proibida» — disseram os Bispos em 1953. Por conseguinte, esta proibição obriga sob pena de pecado mortal.

Os Bispos estão apenas reiterando proibições feitas pela Santa Igreja, como a de 1917: «não é lícito por médiuns ou sem eles… assistir conversas ou manifestações do Espiritismo, mesmo que apresentem aparências de honestidade e piedade…»

Participar de qualquer modo no Espiritismo é um perigo real para a fé e para a saúde física e mental.

Alem disto poderia citar o próprio Kardec no «Livro dos Médiuns», para mostrar que as sessões espíritas conduzem à imoralidade, ao crime, a muitos males, por causa da influência dos maus espíritos… Nada favorece melhor à mentira, aos enganos, à trapaça… »

17. NINGUÉM PODE LER LIVROS ESPÍRITAS

Todos cuidamos da saúde, porque queremos viver e bem. Ninguém tem coragem normalmente de beber um veneno.

Infelizmente não se tem o mesmo cuidado com a alma. Hoje lê-se de tudo. No entanto, a má leitura é um veneno para e espírito. A leitura é que nos fornece as idéias. E tais idéias, tais pessoas. Somos o que pensamos. Por isto: «diga-me o que tu lês, dir-te-ei o que és».

Daí o cuidado da Santa Igreja a respeito de leituras. Proíbe leituras contra a fé e aconselha as boas leituras, sobretudo a leitura da Bíblia, que é a palavra de Deus, que alimenta o espírito e santifica.

Há muita coisa boa para se ler. Porque deixar as coisas boas, para ler coisas contra a fé e a sã moral? Que queremos?

Diz o cân. 1399 do Direito Canônico que são proibidos «… os livros de quaisquer autores, se propugnarem uma heresia… os livros que defendem erros proscritos pela Santa Sé… os que recomendam qualquer espécie de superstição, sortilégio, adivinhação, magia, invocação dos espíritos…»

Qual a gravidade desta proibição? Diz o cân. 2318 do Direito Canônico que: editar, ler livros heréticos, guardar, vender, emprestar… faz a pessoa incorrer em excomunhão! E excomunhão reservada à Santa Sé: só a Santa Sé pode tirar tal excomunhão!

Única solução para livros maus: fogo!

18. NO ESPIRITISMO NÃO HÁ CARIDADE

Depois de tudo o que já sabemos do Espiritismo, será possível ainda pensar que o Espiritismo é capaz de fazer caridade?

De fato, o Espiritismo fala muito em caridade e com isto vai ganhando a benevolência do brasileiro, pouco instruído e inclinado naturalmente à bondade. O Espiritismo tem realizado em muitos lugares certas obras de caridade. Mas, será caridade mesmo, ou justamente o contrário?

Os espíritas realizam obras sociais com o intuito de propaganda. O que desejam é disseminar o Espiritismo. E o Espiritismo é um bem ou um mal? Se o Espiritismo é um perigo para o Cristianismo verdadeiro; se é um perigo para a saúde espiritual e física de nossa gente; se é uma congérie de erros e superstições grosseiras… devemos concluir que o Espiritismo não pode fazer o bem, mas o mal! Ninguém dá o que não tem!

Afinal, que é caridade? Caridade é virtude teológica, tem Deus por motivo: é amor de Deus, por amor de Deus e amor do próximo por amor de Deus. Quando se ama o próximo e se faz o bem, por amor dos homens, não é caridade, é filantropia.

São Paulo diz na Epístola aos Coríntios que podemos ter uma fé de transportar montanhas… podemos conhecer todos os mistérios… dar todos os nossos bens no sustento dos pobres… mas, se não for por caridade, isto é, por amor de Deus «nihil sum…» «nihil prodest…» não sou nada! Não vale nada!

Ora, um herege, como os espíritas, não pode dizer que faz as coisas por amor de Deus. Como é que se pode dizer que faz alguém uma coisa por amor de Deus, quando está mal com Deus?

Quem é que tem o amor de Deus? Jesus disse: quem me ama observa a minha doutrina, segue a minha lei… Quem não está com Cristo, está contra Cristo, contra Deus, está mal com Deus, não tem o amor de Deus, não pode dizer que age por amor de Deus! O Espiritismo nega todas as verdades da Fé, está contra Cristo, está errado, não pode estar ao mesmo tempo bem com Deus e fazendo as coisas por amor de Deus… No Espiritismo não pode haver caridade!

Afinal, sem união na fé, não pode haver união na caridade. Onde não há a verdade não pode haver o bem, não pode haver o verdadeiro amor. Por isto, diz São Paulo que, se vier um Anjo do céu e anunciar outra doutrina diferente, que a doutrina ensinada pelos Apóstolos, seja ele anátema, maldito! O Espiritismo ensina justamente o contrário do que ensinaram os Apóstolos: seja o Espiritismo anátema, maldito! Não podemos ter união e caridade com o erro!

E São João diz: «Se alguém for ter convosco, e não vier com esta doutrina (a autêntica doutrina cristã), não o recebais em casa» (2 Jo. 10, 11).

Não ha caridade no Espiritismo, não é possível caridade para com o Espiritismo!

19. NINGUÉM PODE FAVORECER O ESPIRITISMO!

Ajudar as obras espíritas, colaborar de qualquer modo com o Espiritismo, é favorecer a heresia. E quem favorece qualquer heresia fica excomungado, conforme diz o cân. 2316 do Direito Canônico.

Também prestigiar e favorecer o Espiritismo tomar parte em suas sessões ou atos de culto. Tomar parte em qualquer culto herético também acarreta excomunhão, segundo o mesmo cân. 2316 do Direito Canônico.

Temos as nossas obras de caridade, que se mantêm com dificuldade. É preciso que todos os católicos se unam e conjuguem seus esforços para manter e melhorar cada vez mais as nossas obras de caridade, o brilho do culto divino, e as nossas obras educacionais e culturais… Se, em vez de ajudarmos as «nossas» obras que precisam de nós, vamos ajudar as obras do demônio, estamos traindo a fé, e fazendo assim o pecado de Judas.

O voto dos católicos para os católicos. As esmolas dos católicos para as obras católicas. A energia e atividade dos católicos para a nossa Igreja, para o nosso Deus…

O resto é falta de caráter e de linha, é traição, é ser quinta coluna…

20. SÓ A IGREJA CATÓLICA É A IGREJA DE CRISTO

Jesus instituiu «uma só» Igreja, A SUA Igreja: «Pedro, tu és Pedra e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja».

A Igreja de Cristo é indefectível em matéria de fé e de moral, não pode fracassar: «…as portas do inferno não prevalecerão contra ela».

Essa Igreja goza da assistência divina e da promessa de perenidade: «Eu estarei convosco todos os dias até à consumação dos séculos».

Tudo o que a Igreja condena, Deus condena; e o que a Igreja ordena, Deus ordena: «Tudo o que ligares na terra, será ligado no céu: e tudo o que desligares na terra, será desligado no céu».

Qual é a Igreja de Cristo? Qualquer estudantezinho de história sabe muito bem que a única Igreja fundada por Cristo, e que vem até nós sem solução de continuidade, é a Igreja Católica, Apostólica, Romana. TODAS as outras religiões e igrejas são fundadas pelos homens: sabemos perfeitamente a data, o nome do fundador… E é bom notar que todas as religiões e seitas religiosas foram fundadas para satisfazer a caprichos humanos. E as seitas que se dizem cristãs são heréticas e unilaterais, porque se baseiam ou se apegam a uma ou poucas verdades cristãs e não querem saber de nada mais. Como se pudéssemos servir a Deus conforme nossos caprichos.

Religião não é coisa que estabelecemos, que escolhemos, que selecionamos, conforme nossos gostos e nossas idéias. Religião é o caminho indicado por Deus. Temos de servir a Deus como Ele quer ser servido. Temos de aceitar tudo o que Deus manda. «Ide, pois, e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo, ensinando-os a OBSERVAR TUDO O QUE VOS TENHO MANDADO…»

Não é verdade que todas as religiões são boas, e que isto é questão de gosto, e que podemos ir a Deus por qualquer caminho… Uma só, a Religião de Jesus Cristo, pode ser verdadeira. Este é o caminho, a verdade, a vida.

21. FORA DA IGREJA NÃO HÁ SALVAÇÃO

Está claro que se Jesus Cristo instituiu a sua Igreja, continuadora de sua obra e dos Apóstolos, ninguém poderá estar certo e agradar a Deus fora desta Igreja. Daí o axioma que vem dos antigos Padres, sobretudo de São Cipriano: «extra Ecclesiam non est salus» — fora da Igreja não há salvação:

Cristo disse aos seus ministros: «Ide, ensinai a todas as gentes, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Quem crer e for batizado, será salvo; quem não crer, será condenado… ». «Ensinando-as a observar TUDO o que vos tenho mandado…»

Quem não crer tudo e não observar tudo… Quem não estiver com Cristo em tudo, estará contra Cristo… Não poderá salvar-se!

A heresia, que aceita umas tantas coisas, não aceita outras; o unilateralismo e o espírito estreito das seitas religiosas, que selecionam o que querem crer, conforme seus critérios pessoais… não está com Cristo em tudo.

Se alguém, todavia, estiver fora da Igreja, não por culpa própria; seguindo de boa fé sua religião, mesmo só obediente à lei natural, é uma alma naturalmente cristã, faz o que pode, agrada a Deus, e será salva…

Mas quem vê a igreja Católica deve pensar pelo menos no problema da verdadeira Igreja… Há de ter dúvida… Estará obrigado em consciência a procurar lealmente a verdade… E as almas bem intencionadas o Espírito Santo não deixará nas trevas!

22. QUE FAZER PELOS QUE ERRAM?

Não podemos cruzar os braços egoisticamente, pensando que estamos com a verdade, e basta, para sermos salvos. Não basta estarmos com a verdade, mas é preciso amar a verdade, por isto querê-la conhecida e seguida por todos. A caridade é a essência do Cristianismo, e o distintivo do cristão. Mas, só podemos dizer que amamos a Deus e amamos o próximo, se fizermos tudo pela glória de Deus e pela salvação de nossos irmãos.

É preciso, sobretudo, rezar pela conversão dos pecadores e hereges. Só virá para Deus quem Deus atrair com sua graça. Sem a graça de Deus, nada. Imploremos humildemente as graças de Deus para nós e para o nosso próximo. Peçamos instantemente a Deus para que apresse a hora em que haverá um só rebanho e um só Pastor.

Depois, procuremos dar bons exemplos. As palavras voam, e os exemplos é que arrastam. «Vejam os homens as vossas obras boas, e assim, edificados glorifiquem ao vosso Pai, que está nos céus».

Procuremos fazer o bem de todos os modos, dando bons conselhos, esclarecendo, propagando boas leituras…

Se fizéssemos por Deus e pela salvação do mundo o que os maus fazem pelo diabo, os hereges pelos seus erros, depressa transformaríamos o mundo!

O dia em que todos os homens se voltarem lealmente para o Cristianismo autêntico e cumprirem perfeitamente a lei de Deus, tudo irá bem… Não haverá guerra, nem brigas, nem injustiças, mas a virtude reinará, e assim haverá no mundo a paz e o bem.

O que é preciso é «restaurar tudo em Cristo», como diz São Paulo. É o único remédio e a única solução para todos os problemas sociais e internacionais. O resto é utopia!

«Solutio omnium dificultatum Christus!» —Cristo é a solução para todas as dificuldades! Mas, não um Cristo diminuído, desfigurado, caricaturado. O Cristo total, Cristo como Ele é. E não como queremos que seja.

Temos de adaptar-nos a Cristo, e não Cristo a nós.

«Se alguém não tem o espírito de Cristo, esse não é de Cristo», diz ainda São Paulo.

Cristo é o ideal e o modelo da vida cristã. Cristo é a nossa vida.

O Espiritismo, Esclarecimentos oportunos aos católicos e não católicos., D.J.E. Corrêa – Bispo de Caratinga, 1959.

Este texto foi útil para você? Compartilhe!

Deixe um comentário