As Regras de Cortesia e de Civilidade Cristã

Capítulo I. Do Porte e da Atitude de todo o corpo

No porte de uma pessoa é sempre necessário algo de ponderado e majestoso: mas deve evitar cuidadosamente tudo o que indica orgulho e altivez de espírito, pois isto desagrada extremamente a todas as pessoas. O que deve produzir essa ponderação é somente a modéstia e a sabedoria que um cristão deve manifestar em todo o seu comportamento. 

Como ele é de alto nascimento, porque pertence a Jesus Cristo e é Filho de Deus, que é o Ser supremo, não deve ter nem manifestar nada de vil no seu exterior, e tudo nele deve ter certo ar de elevação e de grandeza, que tenha alguma relação com o poder e a majestade do Deus a quem serve e que lhe deu o ser, mas que não venha de estima de si mesmo e de preferência aos outros. 

Qualquer cristãos se deve conduzir de acordo com as regras do Evangelho, por isso deve mostrar honra e respeito a todos os outros, considerando-os como filhos de Deus e irmãos de Jesus Cristo, e ao considerar-se como um homem carregado de pecados, deve humilhar-se continuamente, e colocar-se abaixo de todos. Ao estar em pé, deve-se manter o corpo erecto, sem o inclinar para um nem para outro lado, e não se curvar para frente como um ancião que não se consegue aguentar. 

Também é muito indecente endireitar-se com afetação, apoiar-se contra uma parede ou contra qualquer outra coisa, contorcer o corpo e alongar-se com indecência. Quando se está sentado, não se deve estender-se preguiçosamente, nem apoiar-se firmemente contra o encosto da cadeira. É indecente estar sentado baixo ou alto demais, a menos que não se possa fazer de outra maneira, em geral é melhor estar sentado mais alto do que baixo demais; mas quando se está em companhia, deve-se dar os assentos mais baixos e mais cômodos principalmente às mulheres. 

Nem o frio nem qualquer outro incômodo ou sofrimento devem fazer-nos tomar uma postura indecente, e é contra a cortesia manifestar no exterior que se tem algum incômodo, excepto se não se pode fazer de outra maneira. Também é sinal de demasiada sensibilidade e delicadeza quando não se consegue sofrer nada sem o manifestar no exterior.

São João Batista de La Sale in ‘As Regras de cortesia e Civilidade Cristã’

Fonte: senzapagare

Este texto foi útil para você? Compartilhe!

Deixe um comentário